sábado, 28 de agosto de 2010

Alexandre, O Grande.













Alexandre, quem não conhece a grandiosa História de um dos maiores conquistadores já existentes, conhecido pela sua liderança e por ser o grande Imperador Macedônico. Famoso também pelo Farol de Alexandria, ele era conhecido como Alexandre, O Grande, Mágno. Falar de Alexandre é falar dos seus grandes feitos, foi filho do imperador Fellipe II da Macedônia. Nasceu entre 20 e 30 de julho de 356 a.C, na região de Pella na Babilônia. Com seu exercito e sua inteligência e bravura conseguiu conquistar toda a Grécia.

O diretor tinha tudo pra fazer uma perfeita biografia das conquistas de Alexandre...mas...não foi bem assim! A grande Fílen do filme em questão é a biografia sexual do Alexandre e além dos seus feitos pouco notados no filme uma grande pitada de putisse e viadagem. Segue então a Resenha sobre Alexandre o Grande!




Uma coisa super interessante nesse filme é que Alexandre na sua 1ª cena, ainda criança, ja começa aprendendo a pegar numa cobra... bem de acordo com o filme, a mãe dele era algo tipo uma feiticeira e tal...mas tudo bem, segue.








Então na cena seguinte, e eis que surge Heféstion, num combate corporal com o Alexandre, ele seria aquele que seria o único a domar Alexandre e o único a quem o mesmo iria amar de verdade..ehehe é isso mesmo, não to mentindo é isso mesmo, pena né!? fazer o que? A prova disso é uma frase muito escrota, o diretor desse filme é um cara realmente escroto hahaah..."A partir daquele dia Alexandre jamais teria sido derrotado, a não ser pelas coxas de Hefestion". Eu realmente não sei o que isso quer dizer, mas pelo decorrer do filme coisa boa não é!

Tem algo muito interessante nesse filme que é frisado constantemente, é a incessante relação sanguínea entre Aquiles e Alexandre, que me leva a pensar: Aquiles era interpretado por Brad Pitty em Tróia (filme já criticado em nosso blog,http://cineruina.blogspot.com/2009/02/troy-troia.html), e a mãe de Alexandre era Angelina Joule,o que me intriga é que enquanto Brad Pitt esbanjava Paudurescência em Tróia, mostrando a bunda e fazendo macacadas, Angelina Joule, passava o filme todo agarrada numa cobra e não mostrava nem a barriguinha. Achei isso uma puta sacanagem com a Angelina, sério mesmo!
Em 30 min de filme Alexandre ainda não fez nada a não ser crescer e virar viadão, numa cena muito engraçada, estava Alexandre com sua mãe quando a mesma tenta convencer Alexandre a gerar uma criança e diz a seguinte frase: "As garotas já dizem que você não gosta delas, que gosta de Heféstion", olha... Eu não tenho nada contra homossexuais, nada mesmo, mas puta que pariu o cara produz uma porra de um filme pra falar da vida de Alexandre, o cara vai pro cinema jurando que vai sair dalí sabendo de tudo que ele fez, e só vê indícios de Baitolagem....É FODA! "Hefestion me ama pelo que sou, não por quem sou" Olha o que o puto responde, a caralho vai te fuder!


video






Daí por diante não se vê muita coisa nas guerras, só caminhadas umas lutas medíocres e o narrador falando sobre as conquistas e desejos de Alexandre, além de mais cenas dele com seu boyzinho Hefestion. Tem cenas deles conversando e se declarando um ao outro é um coisa super romântica...Um importante momento desse filme é quando ele conquista a Babilônia, dai ele conhece um Viado chamado Bagoas.

<-- Olha só o "nipe" do viadão...Puta Merda hem!




Alexandre ao conquistar a Babilônia entra no Templo e se depara com um Harém, tinha bem umas 50 mulheres uma mais linda que a outra, porém Alexandre não parecia ter se engraçado por nenhuma, é daí que de repente ele olha numa direção e vê distante, num canto do Harém...BAGOAS...é isso ai..eles se olham e Alexandre chega a dar aquela parada no andar e respira...daí Hefestion nota e senti ciúmes no ato...olha nem quero mais comentar. Tem tantas cenas assim que se eu for comentar todas vou ter que postar umas 3 vezes e essa porra vai ficar um saco além de muito cansativo.


Como esperado de Alexandre ele parte para mais uma jornada, vai conquistar a Persia. É daí que ele conhece uma Bárbara e decide gerar seu sucessor, sendo que as coisas não saíram assim como planejado, no daí da própria lua de mel ele se encontra com Heféstion que lhe presenteia com um anel e sua mulher vê tudo e fica PUTA DA VIDA auahuahua e claro não vai querer se entregar pra um marido que é fresco né?! Fala sério!

Alexandre continua sua grande jornada além das terras mais temidas junto da sua esposa, do seu amado Heféstion e do seu amante Bagoas. E daí que surge umas das cenas mais gays de todo o filme, Bagoas começa a danças sem camisa, todo depilado, com aquele corpinho de dançarino de brega, daí Alexandre se levanta e o abraça, não o bastante, todo mundo começa um coro, BEIJA BEIJA BEIJA BEIJA...(PAAAARA Aêêêêê!
Que porra é essa meu irmão? Que putaria do caralho, já virou avacalhação com o Alexandre, todo mundo já sabia, do cinema, que ela era viado, o que não faltou no filme foi indícios, mas NÃO! Não era o suficiente pra o diretor, tinha que rolar a porra do beijo homossexual), daí o cara foi lá e beijou o frango mais pintoso do filme na frente da Mulher, do Hefestion e de todo mundo daquela porra...e daí pra frente só foi bobagem até a cena que mais gosto do filme, é realmente a parte legal...Alexandre contra os Elefantes, me lembra muito minha Adolescência de Age Of Empires II. Uma cena massa desse filme é quando cortam a Tromba de um dos elefantes, foi uma cena até chocante para algumas pessoas!

Após isso ele resolve voltar a Babilônia e ai é que surge o ápice do filme, a parte dramática e triste, a morte de Heféstion, e daí rolou mais declarações e mais gayzices, e ele(Heféstion) morre. Daí a bixa endoida...eita que ela endoida manda matar o médico, tenta matar a mulé e é então ele sai puto e fica muito doido, vai beber pra afogar as mágoas e é ai que ele se deixa envenenar para claro e evidente, morrer com seu verdadeiro amor, já que ambos prometeram morrer juntos...PQP. Até o fim do filme só teve isso.

Uma vez me falaram que era um costume daquela época e que era normal homens se relacionarem entre si. Pois eu digo uma coisa, hoje em dia também é completamente normal ser gay e eu não me vejo e nem acredito que eu veja muitos dos meus leitores concordando que só por que é normal devemos fazer naturalmente isso.

Bem, leitores do Cine Ruína essa foi a resenha de Alexandre, O PUTO Grande.Claro que eu esperava menos coisas gays e mais ação, mais conquistas e mais sangre, faltou peitinhos femininos o único peitinho foi do Bagoas que apareceu dezenas de vezes e a da mulher dele numa cena nada convencional, realmente apesar de ser um filme sobre Alexandre, O Grande Fresco, ficou a desejar.
Não fiz nada além de narrar a realidade do filme, não me odeiem, assistam o filme com atenção e comprovem o dito!


Paudurescência 5
Peitinhos -5
Sangre 7
Bizarria 3
Pagação de Cult 7

*Bônus cenas gays em excesso: -10

*Bônus Peitinhos do Bagoas:-5

*Bônus negadas de fogo heterossexuais: -5


Total: -3

14 comentários:

  1. Po cara! quando eu fui ver esse filme no cinema tive duvidas sobre sua qualidade. Mas me disseram, "tenta se concentrar nas partes sobre a historia, e menos sobre a vida sexual de Alexandre."
    O diretor deixou bem dificil hein véi!
    Tinha historia pra cacete pra preencher o negocio, mas nãaoooooo, ele resolve fazer uma novela e concentra o negocio na opção sexual do cara.

    ResponderExcluir
  2. como essa merda ta grande pra caralho pra ler o caba tem que ser muito puto primeiro, pra ler tudo e depois mas ainda ser totalmente viado pra se preocupar em falar da viadagem de um filme merda que tem gente que vai ver no cinema, detalhe o cara ainda diz isso em publico.
    essa negoço ta um lixo é perca de tempo fazer e ler essa merda, dei mas uma vez minha contribuiçao, vamos falar de coisas construtivas, falem de tijolos que constroem casas...abraços meninas!

    ResponderExcluir
  3. Coisas construtivas um cacete! vá ler crepúsculo e aprender como amar !
    Alexandre é um filme broxante!

    ResponderExcluir
  4. Esse Tobias hem..sei não. O filme tinha tudo pra ser do caralho, mas é broxante mesmo! kk

    ResponderExcluir
  5. coisas construtivas é o minha bigola

    ResponderExcluir
  6. Tobias = Alexandre ? ?

    O filme so tem putagem ... eu entrei no cinema e sai acho q com 20 mim de filmes( unica vez q fiz isso ), e também não sei se tinha tudo pra ser do caralho... mais concerteza tinha tudo pra ser menos broxante !!

    Vamo Beber que comer engorda !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ta loko? Diser que esse nub é Alexandre só pode ser um grande elogio.

      Excluir
  7. UAhaahuahua....

    Vamo Beber que comer engorda !!

    ResponderExcluir
  8. Eu adorei o filme.
    A atuação de Jared Leto é sempre incrível. E o romance entre Alexandre e Heféstion é ótimo, como a de Aquiles e Pátroclo.

    E não, nunca vai ser completamente normal ser homossexual enquanto houver homofobia por aí. Infelizmente!

    ResponderExcluir
  9. Homofobicuzinho babaca esse comentarista, hein... sinto muito mané! A cultura grega que vcs tanto admiram foi sim fundada em grande parte por homens que se apaixonavam por outros homens - e não eram tão babacas como mané que nem você! Aliás, a culpa não é do diretor que não soube aproveitar a história, mas sua mesmo, que de tão homofbóbico e machista não conseguiu perceber tudo o que o filme tinha de bom! Nasce de novo, valeu!

    ResponderExcluir
  10. Eu assisti o filme no cinema e detestei. Anos depois, por acaso, um livro chamado O Garoto Persa chegou em minhas mãos. É bastante longo, 600 páginas, ele consegue mostrar em detalhes a vida de Alexandre, contada por Bagoas, o tal garoto persa, que narra a história não com olhos dos conquistadores gregos, mas pelo lado dos Persas, desde Dario.. E mais, alguém que foi capturado, castrado e de quem foi tirada todo o direito de vida normal, masculina, de soldado e nobre que era.
    Depois de ler, no mesmo dia em que terminei, baixei a versão estendida do filme ara rever e ele passou a ter mais sentido para mim. Mesmo que não declarado como adaptação do livro, o filme tem GRANDE influência do livro, o diretor só pecou ao montar as cenas.
    Alexandre era humanitário e justo, diferente de qualquer líder da história e acreditava-se sim que era descendente de Aquiles. Até com os piores inimigos ele era justo e honrado. Matar era o último recurso. E não, ele não tinha interesse por mulheres, casou para unir povos somente. Heféstion ocupava sim um patamar único para ele, até a chegada de Bagoas, que pôde dividir isso até certo ponto. A Rainha Olímpia era frequentemente acusada como feiticeira, mas não no sentido de bruxaria que pareceu no filme, mas porque era muito manipuladora e de personalidade forte, e esse adjetivo é usado no contexto da época em outra conotação.
    Enfim, seria impossível mostrar a profundidade da história aqui, ainda mais que sua análise se ateve mais à sexualidade dele. Só posso recomendar a leitura, que talvez sirva para te mostrar outros lados.

    ResponderExcluir
  11. a grande polêmica do filme é porque retrata o lado sexual de Alexandre!!! E muitos se doem por causa disso, ou sentem sua masculinidade ameaçada!!!! Pessoal os Gregos e Macedônicos não tinham essa moralidade cristã que impregna nossa sociedade!!! Para eles era normal um homem dizer que gosta de outro. O importante para os Gregos era o cara ser casado e ter filhos para dar continuidade a linhagem sanguínea. De resto ele poderia pegar quem quer q fosse!! o filme retrata bem isso!! O dito "problema" do filme é que todo mundo se sente incomodado por terem relações homoeróticas!!! Quem se sente seguro de sua heterossexualidade não se incomoda com isso!!!

    ResponderExcluir
  12. senti um pouco de recalque nessa resenha...

    ResponderExcluir
  13. Claro, você não tem nada contra homossexuais, mas no texto todo só se referiu a eles de maneira pejorativa e disse "porra de beijo gay". Se fossem envolvimentos e bastante putaria entre um homem e uma mulher aí estaria tudo bem né?! Pura hipocrisia.
    Esta parte da sexualidade dele e com quem ele se relacionou é de suma importância para a história do filme, pois é um ponto chave para descrever sua trajetória. E eu digo que até que enfim um diretor teve a ousadia de mostrar a realidade, pois vários filmes sobre a antiguidade não mostram a homossexualidade das pessoas e outras abordagens verdadeiras na época e muito presentes só com receio de perder o público falso moralista.

    ResponderExcluir